Eu venci e você também pode vencer, Por Murilo Lemos

“Recebi o diagnóstico de leucemia linfóide aguda (LLA) aos quatro anos. Fui tratado no Centro Infantil Boldrini, em Campinas, no interior de SP, onde fui submetido a sessões de quimio e radioterapia.

Como conseqüência do tratamento, meu cabelo caiu, e eu praticamente não podia ter contato com outras pessoas devido à baixa resistência imunológica.

Durante o tratamento também enfrentei uma pneumonia. À época, minhas chances de cura com a leucemia eram de 10%. Com a pneumonia, essas chances diminuíram mais ainda. Mas graças a Deus, aos médicos, à minha família e aos amigos, sobrevivi sem nenhuma seqüela e faço questão de, sempre que posso, contar minha história com a doença para motivar aqueles que a enfrentam hoje e que têm muito mais chances de cura do que eu tive.

Gostaria de deixar uma mensagem para as famílias e pacientes que enfrentam o câncer e qualquer outra doença dessa gravidade: nunca deixem de contar para o paciente a doença que ele tem. É fundamental para a cura que o paciente saiba exatamente o que está enfrentando e queira se curar.

Outro fator muito importante é a fé. Não importa a religião: é preciso ter fé em algo maior que o ser humano. A medicina sozinha não consegue explicar minha cura, é preciso acreditar em algo maior para ter forças e conseguir enfrentar a doença.”